quarta-feira, 26 de abril de 2017

Modernização das leis de trabalho coisa nenhuma! Reforma é a volta da escravidão!

Parece que finalmente foi aprovada a reforma trabalhista. Quer dizer, o que a direita chama de reforma trabalhista. Pois reforma dá ideia de trocar uma coisa por outra melhor. Não será isto que vai acontecer. O que começa a partir de agora é a chamada precarização do trabalho, onde a voz do patrão será a única a ter valor e a chantagem o principal meio de negociação.

Aprendi em Administração que é uma tradição do empresariado brasileiro, sobretudo o de grande porte, ser autoritário, impaciente e avesso a diálogo. Isso será reforçado pelas novas leis trabalhistas. Esta tradição existe porque grande parte do empresariado brasileiro é descendente dos velhos senhores de engenho do tempo colonial. Obter vantagens as custas de sofrimento alheio é algo passado de pai para filho, o que justifica o pensamento escravocrata dos empresários atuais.

Não se engane com a postura pseudo-moderna do empresariado brasileiro. A mentalidade dos donos do meio de produção de nosso país é a mais retrógrada possível. Não há gírias e roupas moderninhas que consigam eliminar ideias mofadas de suas mentes. O que eles chamam de "modernização" é na verdade a devolução a uma situação antes da CLT. Ou talvez pior ainda.

Que a CLT precisa de atualização, isso é uma unanimidade. Mas para atualizar a CLT é preciso colocar algo melhor, que faça as relações de trabalho progredirem. O que as elites querem é justamente o oposto: a precarização do trabalho, que gradativamente irá se transformar em uma escravidão, onde trabalhadores realização tarefas praticamente sem ganhar nada, no máximo o que é conhecido como "ajuda de custo", só para garantir que o trabalhador esteja de pé, em condições de realizar as tarefas que os empregadores querem que seja feita.

A grande mídia corporativa, interessada nesta precarização, insiste com mentiras sobre as mudanças, escondendo da população os danos que poderá causar. Tenta se aproveitar da ignorância do brasileiro médio e enrola, com explicações prolixas e rebuscadas, tentando convencer que a reforma será para "melhor".

Interesse pela reforma trabalhista foi um dos motivos do golpe

O golpe foi encomendado por gigantescos empresários que querem transformar o Brasil em território de exploração, para extrair as riquezas naturais que só existem aqui. É uma versão atualizada das invasões bárbaras da Idade Antiga e dos ataques de piratas de tempos posteriores.  É a colocação do trabalhador em condições semelhantes a da escravidão. Era preciso acabar com os direitos dos trabalhadores para baratear a mão de obra, pois as grades corporações estrangeiras pretendem usar mão de obra do local a ser explorado, para diminuir custos e aumentar lucros. 

Para isso, era preciso tomar certas medidas: criminalizar sindicatos e movimentos sociais, estimular a ignorância e a submissão através de educação doutrinadora e cultura imbecilizante, "canonizar" empresários e lideranças capitalistas, e mentir, mentir muito para que as imposições sejam vistas como "mal necessário a recuperar a economia para que seja boa para todos". Uma mentira que os economistas mais sérios conhecem e confirmam como falácia.

Empresários perderão com "modernização" das leis trabalhistas

Os empresários que apoiam a medida demonstram também a sua ignorância, já que a verdadeira modernização do trabalho deve priorizar o lado social - não de forma paliativa como estão sendo feitas as ações sociais de empresas atualmente, acompanhada de irresponsável doutrinação ideológica - aumentando salários e condições de trabalho e propondo carga horária de trabalho que não ultrapasse o necessário para o cumprimento de uma meta.

Para os empresários brasileiros, quanto mais exploradores e autoritários forem, melhor. Isso é de uma perfeita ignorância, pois a médio longo prazo o tiro pode sair pela culatra. Trabalhadores mal pagos e em más condições produzem mal. Ganhando pouco ou nada, deixam de ser consumidores, ou no jargão administrativo, clientes. Sem clientes, empresas ficam sem renda, sem renda, vão a falência. Para impedir a falência, recorrem ao rentismo (bolsa de valores) e a auxílio do governo normalmente criticado pelos empresários, que acham que governos devem interferir cada vez menos na economia. 

Ou seja, os próprios empresários podem estar se enfiando numa enrascada que pode prejudicar a eles mesmos, estragando a economia como um todo por causa da ganância infantil e do desejo vil de poder irrestrito. Mal sabem eles que a proposta de modernização das relações de trabalho é algo para ser discutido amplamente com toda a sociedade, pois os trabalhadores tem importantes opiniões a respeito que podem gerar melhorias para todos, inclusive para o empresariado. 

As medidas a serem aprovadas levaram a sérias crises financeiras nos locais onde foram implantadas. Administradores e economistas sérios sabem que a reforma, nos pontos que foram propostos, é um gravíssimo erro que pode literalmente destruir a economia brasileira. Temos que fazer de tudo para que esta reforma não seja aprovada. Caso seja aprovada, quem for ser humano, com a mais absoluta das certezas, será prejudicado pela precarização do trabalho.

sexta-feira, 21 de abril de 2017

Delação de Léo Pinheiro soa como uma facada contra Lula

Os direitistas estão em festa. Pressionado pelo juiz Sérgio Moro, magistrado interessado em destruir a esquerda brasileira numa encenação de investigação e julgamento, o ex-presidente da construtora OAS, após inocentar Lula em outras delações, resolveu, para se livrar da prisão perpétua (que não existe em tese no Brasil, mas pela elevada idade do delator, passaria a existir na prática) inventar que Lula pediu para que provas fossem destruídas. Provas que não foram ditas quais são. Algo bem parecido com o que se vê no famoso livro de Franz Kafka, O Processo.

Os conservadores interessados em ver Lula punido e o Brasil em frangalhos se apressaram em comemorar e choveram vídeos no estilo "eu te disse" no YouTube, comemorando a derrota daquele a quem consideram como seu inimigo número 1.

Mas para progressistas, sabe-se muito bem que a delação foi uma farsa. Além de ser obtida sob pressão de um juiz interessado em eliminar Lula, seja de qualquer forma, ela ocorreu sob circunstâncias estranhas e após uma pesquisa que mostra um resultado desagradável para as forças conservadoras. Segundo a pesquisa, se as eleições fossem hoje, Lula ganharia facilmente. A direita precisava agir para impedir um presidente altruísta no poder.

Esta deleção também faz parte de uma pressão psicológica a ser feita para criar um clima desagradável no depoimento a ser dado pelo próprio Lula no próximo dia 03, em que pode ser dada a partida para uma guerra civil entre conservadores e progressistas.

Não se sabe qual final terá este episódio. Sabe-se que as forças conservadoras estão perdendo aos poucos a credibilidade devido ao modo agressivo de agir e da evidente ganância que não conseguem esconder ao impor medidas autoritárias na política, na economia, na educação e no cotidiano social.

As elites que querem derrubar Lula não sabem que aos poucos vão destruindo o país, transformando aos poucos num mero terreno de exploração, aos moldes dos piores países africanos e que no fundo todos, sem exceção, irão pagar muito caro por isso, cedo ou tarde.

Veja meu comentário a respeito, colocado ainda pouco no YouTube. Razão do atraso na publicação desta postagem.

quarta-feira, 19 de abril de 2017

Entenda o projeto destruidor das forças conservadoras

Pode ser que o golpe tenha sido dado graças a um chilique de Eduardo Cunha, que não teve as suas decisões apoiadas por Dilma Rousseff quando ela estava no governo. Mas por trás de Eduardo Cunha, uma verdadeiro horda de mercenários encontrou a oportunidade perfeita para dar o bote e aniquilar todas as iniciativas que pretendiam dar qualidade de vida a toda a população, obrigando as elites a se livrarem de seus excessivos supérfluos, aquilo que lhes garante o poder de se intrometer na política e no direito alheio.

Esta horda é composta por empresários, juristas, profissionais liberais, celebridades, lideranças religiosas, todas falando em nome das elites descendentes de senhores de engenho, interessadas em ver projetos pessoais sendo postas em prática no Brasil. E atrás delas, grandes corporações estrangeiras e trilhardários especuladores financeiros interessados em devolver ao Brasil a condição de colônia de exploração. Essa gente toda se aproveitou de um chilique para por a mão na massa fecal que está por destruir totalmente o Brasil como nação autônoma.

Um intrincado projeto que pode instaurar o apartheid social para que a ganância dos novos senhores de engenho possa ser preservada, se que a população brasileira, tradicionalmente ignorante por causa do desestimulo à intelectualidade. Um projeto secreto que promete deixar brasileiros ainda mais ignorantes e limitados à função de semi-escravos está sendo posto em prática por grandes empresários brasileiros, escondidos sob os nomes de fundações pseudo-sociais controladas por estes novos senhores de engenho, discretamente envolvidos em cabeludos casos de corrupção.

O site Cinegnose, de mentalidade progressista fez uma grave denuncia deste projeto. A reforma educacional e a reforma trabalhista, junto com outras atitudes tomadas pelo governo Temer - e que podem ser reforçadas por Jair Bolsonaro, líder da direita nas pesquisas eleitorais, que aparenta ser contra Temer, mas socialmente e economicamente se afina em importantes pontos - preparam o Brasil para a completa decadência.  Os avanços estimulados pelos governos petistas incomodaram os EUA que viram no Brasil uma ameaça a sua hegemonia mundial. Tio Sam precisou agir.

Listo aqui, de forma um pouco leiga e sem detalhes, um panorama do trabalho empenhado pela gestão direitista para fazer com que o país retome a sua condição de sub-desenvolvimento e volte a baixar a cabeça às nações poderosas, para que interesses de poderosos sejam preservados.Se lembrando que o projeto "Ponte para o Futuro", mentiroso em seu nome pomposo, tem base na Teoria da Dependência, tese lançada por Fernando Henrique Cardoso que impede o desenvolvimento de nações não-industrializadas e a dignidade de pessoas mais pobres.

O projeto de destruição do Brasil

- O primeiro passo, por incrível que pareça, foi emburrecer a população brasileira para que nunca pudesse se intelectualizar. Uma cultura tosca e alienante e o papo de que o Brasil só deve ser melhor do mundo no futebol (imediatamente transformado em dever cívico e obrigação social), junto com a submissão midiática, o estimulo ao consumo de drogas (incluindo lícitas como o álcool) e a influência das religiões, complementa o tradicional desprezo pela intelectualidade, estimulado pelas convenções sociais. A insistência na ideia de "deixar de pensar para curtir a vida" é transformada em meta, para impedir que pessoas percebam o que está acontecendo.

- Por isso, em 2016, foi relativamente fácil tirar governos progressistas do poder. Para angariar simpatia da opinião pública, era necessário forjar uma falsa vilania em projetos progressistas para que a população pensasse estar sendo correta a suposta punição aos progressistas. Derrubados os progressistas, colocam-se os golpistas no lugar e se aproveitando do baixo nível intelectual da grande maioria da população para inverter as intenções de esquerdistas e direitistas, colocando os últimos como "altruístas salvadores da população", quando ideologicamente se percebe o oposto.

- Criminalizam-se os ideais progressistas e as lideranças que os defendem. Se possível, punir de forma política (mesmo sem culpa) essas lideranças, para que suas ações pudessem ser impedidas, facilitando os caminhos da elite gananciosa que por meio de seus representantes, vão aos poucos transformando o país em território de exploração e o povo em semi-escravos submissos.

- Muda-se todo o sistema educacional para que seja estimulada a submissão total ao sistema. Todo o empenho é feito para desestimular o discernimento, o senso critico e o interesse em analisar. Empresas criam suas fundações sociais e forjando falsa preocupação social, agem para criar uma discreta doutrinação de direita, onde empresários são convertidos em "heróis-tutores da humanidade", onde a utópica tese da meritocracia cria um falso otimismo em relação ao futuro, aquietando as mentes da população que, alegremente, cede às imposições escravocratas da elite controladora.

- Com isso, cria-se condições para que o Brasil não só deixe de se desenvolver, como sirva apenas de colônia de exploração, oferecendo matéria prima para as nações industrializadas que não as possui. O Brasil vira uma espécie de estoque de commodities para ser utilizado pelas gigantescas corporações estrangeiras, que utilizam da mão de obra quase gratuita para extrair aquilo que será utilizado apenas pelos moradores dessas nações industrializadas.

- Fortalece-se os meios de comunicação oficiais para continuar mantendo a população na cegueira intelectual, iludida com o entretenimento fútil e alienante (música de mercado, cinema fútil e futebol) e com as promessas de religiões (comprometidas com dogmas surreais). É importante preservar a população no mar de ignorância cultural e analfabetismo político para que o sistema explorador se mantenha por muito tempo. Estimular a burrice e alienação constantes garantem a permanência das relações de poder que caracterizam o sistema explorador.

Se pensam que as medidas tomadas pelo governo Temer são isoladas, o que acabei de lhes mostrar comprova que tudo na verdade está entrelaçado. Todas as medidas são partes de um só processo: o de escravizar a população pobre brasileira para que ela possa trabalhar, a troco de quase nada, para extrair a riqueza que vai parar em mãos alheias. Além do cancelamento de muito direitos, vemos revogada a nossa soberania. Se tivermos comemoração de 7 de setembro em 2017, pode ter certeza: uma celebração evidentemente hipócrita.

E as elites brasileiras não perdem com isso?

Vamos considerar como elites brasileiras apenas os maiores empresários do país, de porte gigantesco (como o Itaú, a Ambev, as Organizações Globo, etc.). Empresários de médio e pequeno porte são trabalhadores e costumam perder com a ganancia de empresários de maior porte.

Os maiores empresários do país poderiam perder com essas medidas se fossem mais honestos e não-gananciosos. Com as medidas que tomam, correm o grave risco de perder funcionários e clientela, gerando gigantescos prejuízos a longo prazo. Mas duas coisas lhes favorecem.

Primeiro, eles são rentistas. O maior lucro não é obtido nas vendas de serviços e produtos. Eles são rentistas, ou seja, o grosso do lucro é na verdade multiplicado por meio de investimentos na bolsa de valores, com base na especulação financeira. Dependem da valorização das ações suas e de concorrentes e no valor dos juros para que possam enriquecer. Há também a aplicação em paraísos fiscais, localidades com regras financeiras que exigem menos para aplicar, mas oferecem rendimento alto. Ou seja, mesmo que diminuam as vendas e patrocínio, eles têm como se manter na ganância.

Segundo, é que os empresários contam com governos. Apesar de críticos frequentes das gestões públicas, tratam os agentes políticos, inclusive chefes do executivo, que para os poderosos empresários não passam de meros capachos para serem pisados, como executores de suas vontades particulares. Estando em crise, as grandes empresas sempre encontram nos impostos pagos pela população a salvação para seus problemas. 

Ou seja, mesmo com o Brasil todo arrebentado, os maiores empresários do país estão mais do que tranquilos. O país pode explodir que o grande empresariado estará salvo. Se algo extremamente desagradável acontecer, é só as nossas gananciosas elites se mudarem para confortáveis mansões em Miami que está tudo resolvido. Já a população, ela que se dane.

segunda-feira, 10 de abril de 2017

Temos que parar com ideologias e pensar no bem estar da população

A Educação é o maior problema da sociedade brasileira. E as consequências de uma péssima educação, que sempre negligenciou a formação intelectual do povo brasileiro, somadas a influência midiática e a crença em valores duvidosos, estão fazendo seus estragos. Um desses estragos é a infantil polarização política que cria "orientações políticas" defendidas como se fossem grêmios, escolas de samba ou clubes de futebol, desviando do foco que deveria ser direcionado ao bem estar de todos.

Em nome de ideologia X ou Y, pessoas tem se envolvido em brigas serias pela internet e ao invés de propor soluções sensatas, ficam propondo eliminação de direitos alheios, sem saber que o dano de muitos pode estragar sistemas inteiros e levar o Brasil a uma situação de sub-humanidade, com condições extremamente precárias. Um retrocesso de séculos.

Falta maturidade na maioria das pessoas na hora de analisar a política atual e para agravar isso, entra além da influência midiática, que já é bastante nociva, a influência religiosa. Religiões são mitologias com base em lendas surreais e servem mais para entretenimento e como forma de relaxar as pessoas incomodadas com os problemas da realidade. Mas serve como uma água com açúcar e não como panaceias. A influência das religiões no cotidiano geral sempre se comprovou como nociva. E mesmo assim, vamos insistir nela?

E porque o desprezo a tudo que representa intelectualidade. Crescemos achando que "pensar e muito chato" e "intelectuais são pessoas mal-humoradas" e por isso entregamos as nossas vidas à curtição mais irresponsável, entregando a função de resolver as coisas às autoridades. Cruzamos os braços e as coisas acabaram acontecendo do contrário que queríamos. Aos poucos retomamos os velhos instintos animais e voltamos à lei do mais forte, que faz mais sentido para manadas do que para pessoas.

Ficar que guerreando achando que tais medidas são de "esquerda" ou de "direita", como se cada ideologia fosse um time a ser defendido é uma tolice típica de analfabeto político. As elites adoram esta polarização porque ela impede a união entre as pessoas e com isso impede o surgimento de uma multidão de "subversivos" a ameaçar os abusivos privilégios das elites. Por isso que a mídia (a oficial e a de fake news) se esforça em manter esta polarização.

Esta polarização impede qualquer forma de debate sensato e amadurecido. Ela explicita o egoísmo que existe em cada um, preocupado exclusivamente em defender seus interesses ou do grupo ao qual pertence. Cada um constrói um Brasil somente para si e que se dane qual medida for ou não aprovada, desde que não prejudique os interesses particulares de quem não esta a fim de debater.

Isso tem feito com que muita gente mal informada tenha participado de manifestações conservadoras como aquela do pato amarelo, sem saber realmente o que seria o melhor para o país, elegendo a abstrata corrupção, que e um mal, mas não o principal e nem a raiz dos problemas, como "o demônio da hora". Uma prova de que falar mal da política não faz de ninguém um entendido sobre política.

Então, que tal jogarmos fora nossas convicções bestas e sentarmos para um debate focado não em partido X ou Y, ou em político Fulano ou político Sicrano. Vamos focar no interesse de todos, propondo benefícios para o maior numero de pessoas, se possível, todos. Ignorar estereótipos e nos livrar de maniqueísmo (a tese do bom versus mal, que só faz sentido em obras de ficção), analisando profundamente o contexto social e as necessidades de todos.

Somente um debate maduro e racional, livre de doutrinações, sejam de quais lados forem, pode ajudar a melhorar o país. Devemos estar despidos do saudosismo idiota de "valores tradicionais", que foram úteis no passado e hoje se tornam nocivos, como aquele remédio que perdeu o prazo, para que enxerguemos a realidade sem a miopia das convicções e dos interesses pessoais.

Se pensarmos antes de tudo como brasileiros e não como integrantes de grupos ou ideologias, com certeza chegaremos a uma solução, evitando golpes e polarizações que podem desertificar o país aos níveis dos mais atrasados países do mundo. Reflitam.

domingo, 26 de março de 2017

O Fracasso das Manifestações da Direita

Aos poucos, o povo vai acordando do pesadelo fascista do ódio contra os melhores governos que o país teve nos últimos 50 anos. Reconhecendo que o golpe tem como única intenção preparar o Brasil e os brasileiros para se moldarem ao gosto dos especuladores estrangeiros, o povo já não se engana mais com os grupelhos fascistas (Vem pra Rua, MBL, Revoltados On Line e similares) que organizaram as maravilhosas passeatas de 2016, com um bando de desinformados protestando sem saber contra os próprios direitos.

Hoje, uma manifestação foi programada para que o Governo Temer pudesse forjar o apoio popular às medidas amargas tomadas para agradar ao mercado especulativo. Mas como isca, usou o combate a corrupção e o fim do foro privilegiado como "motivos" da manifestação. Sabe-se que não é assim.

Observando os grupelhos que organizaram as passeatas, entusiastas do mais ganancioso e sádico direitismo, o povo, com a ajuda de portais sérios da internet, que com a participação de profissionais renomados esclarecendo sobre os bastidores do golpe, percebeu a farsa e se ausentou de forma maciça das manifestações coxinhas que prometiam ser históricas, mas nunca passaram de histéricas.

O fracasso foi tanto que a mídia, que escondeu os verdadeiros motivos da manifestação, estava meio desanimada com a baixa adesão dos brasileiros. O que mostra que grande parte da população se conscientizou, graças a um excelente trabalho da mídia alternativa, e não está mais do lado da chamada ídia oficial.

Resta dar o parabéns ao povo brasileiro que não deu ouvidos a um bando de malucos a serviço de uma meia dúzia de mega-ricaços. As manifestações coxinhas de hoje foram um FRACASSO e mostra que o povo não está a favor de quem é contra o povo.

Chega de enganação. Coxinhas, vão pastar que é melhor! E voltem para a Alemanha de 1933, que é a época a qual vocês pertencem!

Ouçam meu comentário sobre este fracasso retumbante:


sexta-feira, 24 de março de 2017

O caso Eduardo Guimarães e a confirmação de que vivemos em uma ditadura

No dia em que eu fiz aniversário, fui surpreendido por uma notícia triste vinda de um dos blogues progressistas. O Cafezinho noticiou que Eduardo Guimarães, responsável pelo excelente Blog da Cidadania, que eu visito há anos, tinha sido levado de forma humilhante para depor. 

Guimarães foi tratado de forma agressiva pelos agentes. Teve computador e celular sequestrados, com grande risco de perder dados importantes, com as senhas mudadas para que o próprio Guimarães não tivesse acesso ao conteúdo, facilmente explorado pelos capangas de Moro.

Tudo teve o objetivo de saber qual foi a fonte que forneceu com antecedência as informações sobre a ação coercitiva de Lula, em março de 2016, que teve o objetivo de humilhar o ex-presidente diante da opinião pública, parecendo para os desavisados de que "um perigoso mafioso estava sendo preso". 

Lula também estava sendo capturado para prestar depoimento, mas a ação coercitiva e as informações emboladas pretendiam mostrá-lo como um bandido de alta periculosidade, matando a reputação para que o PSDB pudesse encontrar caminho livre para conquistar a opinião pública e impor uma agenda que pretende favorecer os especuladores financeiros representados por políticos tucanos.

Eduardo Guimarães foi liberado após o depoimento. Até o fechamento desta postagem não fui informado se ele recuperou seu material. Tomara que sim, pois perder coisas pessoais nunca é bom.

O episódio teve muita repercussão. Até setores da imprensa golpista, pasmem, esteve do lado de Guimarães, por entender que o ato foi claramente um atentado à liberdade de expressão. Eduardo Guimarães, que foi humilhado por Moro por não ter o diploma de jornalista, exerce a função jornalistica com excelente qualidade - como pude sempre comprovar - e merece os mesmos direitos de um emissor de informações.

O caso serviu para mostrar que não vivemos mais em uma democracia e que dependendo dos interesses de poderosos, qualquer um pode ter a sua liberdade limitada, pois os plutocratas querem que a sua ganância e o compromisso com especuladores ainda mais gananciosos, sejam respeitados, sem qualquer tipo de limitação. Desde o golpe de 2016, estamos numa ditadura enrustida. Uma falsa democracia legislada através de medidas de exceção.

Fico pasmo com o poder imenso que ganhou um juiz de primeira instância, desconhecedor de vários aspectos do Direito e praticante de estranhos métodos consagrados pelo Nazismo alemão. O paranaense Sérgio Moro, que no fundo age como um delegado acusador, além de poderoso e altamente blindado, tem um lado bem definido. A foto dele sorrindo ao lado de Aécio Neves, o super-corrupto "Mineirinho", mostra bem de que lado está o juiz "imparcial" de Curitiba.

Fica aqui o nosso apoio irrestrito a Eduardo Guimarães, um batalhador pela liberdade de informação e pelo bem estar coletivo dos brasileiros, este seriamente ameaçado após o golpe.

quinta-feira, 23 de março de 2017

A Terceirização, em explicação simples

Os danos da terceirização em explicação simples dada por mim. Ouçam e reflitam sobre a medida que poderá trazer de volta a nefasta escravidão para o Brasil, revogando definitivamente a Lei Áurea. Se as autoridades saírem para comemorar os dias primeiro e 13 de maio, pode crer: HIPOCRISIA!